Incêndios florestais: dispositivo municipal em funcionamento

De 1 de julho a 30 de setembro de 2019, o Dispositivo Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (DMDFCI) está em funcionamento, com reforço de meios. Baseada numa gestão eficiente e articulada dos recursos existentes, esta estrutura tem como objetivos estratégicos reduzir o tempo de intervenção para cada incêndio florestal declarado, diminuir a área ardida e, acima de tudo, proteger as pessoas.

Este dispositivo integra as seguintes entidades: Agrupamento de Associações Humanitárias do Concelho (Bombeiros de Mafra, Ericeira e Malveira); Serviço Municipal de Proteção Civil; Serviço de Polícia Municipal; Sapadores florestais municipais; Guarda Nacional Republicana (GNR); Escola das Armas; Sapadores florestais da Tapada Nacional de Mafra; Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF); Freguesias do Município de Mafra (apoio logístico); Associação de Caçadores do Concelho (deteção inicial); AFOCELCA – Portucel Soporcel e Navigator.

As atividades de vigilância, deteção e alerta são asseguradas, diariamente e em permanência, por dez equipas formadas por oito entidades, sendo que, quando o nível de alerta é vermelho ou laranja, estas são reforçadas com mais três equipas, num total de 13. As atividades de primeira intervenção estão a cargo de oito entidades, enquanto que o combate e rescaldo são garantidos por sete entidades.

O Comandante Operacional Municipal, João Pereira, sublinhou a importância do trabalho em conjunto, que tem vindo a ser desenvolvido desde a criação deste Dispositivo em 2006, acrescentando que o desafio é, “sempre que há ignições, ser mais rápido e eficaz”. O Comandante Operacional Distrital do Comando Distrital de Operações de Socorro de Lisboa, André Fernandes, destacou que “Mafra é um bom exemplo de um sistema integrado de operações de proteção e socorro”, tendo o Vice-Presidente do Conselho Executivo da Liga dos Bombeiros Portugueses, Rui Rama da Silva, aditado que “Mafra foi pioneiro em muitos aspetos, nomeadamente na articulação de todos os agentes para responder às necessidades”.

Nesta ocasião, o Presidente da Câmara Municipal, Hélder Sousa Silva, fez uma retrospetiva do trabalho de preparação realizado antes da época de maior risco. Enumerou que, desde o início de 2019, se procedeu à abertura de faixas de gestão de combustível (58,7 hectares através de limpezas mecânicas e 22,5 hectares através do fogo controlado), à beneficiação de 21km de rede viária florestal, à limpeza de todos os terrenos florestais municipais, assim como à realização de mais de 1.400 notificações a particulares para execução de limpezas de terrenos e ao reforço das ações de sensibilização e formação, estimando-se que tenham sido abrangidas 33 mil pessoas.

Referiu, ainda, que se verifica um reforço operacional em 2019, com a constituição de uma segunda equipa de sapadores florestais municipais, tendo ainda a autarquia apoiado a criação de Equipas de Combate a Incêndios (ECIN) e Equipas Logísticas de Apoio ao Combate (ELAC) e de mais duas Equipas de Intervenção Permanente (EIP), totalizando três afetas às três corporações concelhias.

Dispositivo Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios 2019